Distrito de Gameleira da Lapa entra para o Mapa da Cultura no País

No penúltimo sábado (dia 23) do mês de julho de 2016, foi inaugurado o Ponto de Cultura A Casa do Saber no distrito histórico de Gameleira da Lapa, município de Sítio do Mato, Estado da Bahia. A regional de cultura pertence ao Território de Identidade do Velho Chico.

A unidade terá como base aulas de capoeira e informática, com um total de 100 vagas disponíveis para a população da região. Além disso, contempla também ponto de acesso digital, com acesso a internet e uma mini-biblioteca, criada a partir de doações de livros, para uso de toda comunidade.

O Ponto de Cultura A Casa do Saber é integrante do Sistema Nacional de Cultura (SNC), cuja finalidade é dar condições de sustentabilidade a projetos e manifestações culturais sem fins lucrativos que desenvolvem ações nas comunidades locais. Criado pelo programa Cultura Viva do Ministério da Cultura, o Ponto de Cultura tem como característica a gestão compartilhada entre poder público (municipal, estadual ou federal) e a comunidade.

Segundo o Ministério da Cultura, "os Pontos de Cultura foram criados para estimular o acesso à cultura, promover a cidadania e valorizar as manifestações culturais locais." É uma forma da comunidade se envolver e os cidadãos ficarem mais motivados para criar, participar e reinterpretar a sua cultura. A Casa do Saber, assim como os demais pontos de cultura, são espaços que desenvolvem ações socioculturais, com o apoio do Ministério da Cultura (MinC) e  da Secretaria de Cultura do Governo do Estado da Bahia.

O evento de inauguração envolveu toda comunidade, algumas autoridades e parte da classe artística local. Marcado por apresentações de grupos de dança, capoeira, maculelê e exibição de filme, a inauguração levou crianças, jovens, adultos e idosos para prestigiar a marca importante na história contemporânea de Gameleira.

Participaram da cerimônia de honra, o representante territorial de cultura do Território do Velho Chico, João Pereira de Souza Filho e os convidados especiais Cida Santos e Anderson Leite. Ainda na composição da mesa estavam o coordenador geral, Aparecido Silva, a monitora do ponto de cultura, Cleuza Rodrigues, o professor de Capoeira, mestre Antônio de Janoca, e o coordenador de informática, Rodrigo Moreira.


Apesar de conhecida pela eferverscência cinematográfica, oriunda dos filmes Narradores de Javé, Um Silêncio Suspeito (dirigido por Moraes Lima) e participação de atores gameleirense no filme Espelho D'Água, a cultura local já foi marcada por atividades que eram corriqueira na região e que deve ter uma nova fase de crescimento. Ao final da apresentação da mesa e das atividades artísticas da inauguração, o filme Narradores de Javé (gravado em Gameleira) foi exibido para a platéia presente.

Como um desses componentes culturais oferecidos à comunidade, a prática de capoeira era quase obrigação para a juventude há uns 20 anos atrás, incentivada pelos pais e era complementar a outras atividades, já que maioria estudava e trabalhava."Naquele tempo a conduta dos jovens ao passar pela nossa escola era muito diferente do que vimos hoje. Então, com esta nova oportunidade, nova escola, podemos melhorar o futuro de muita gente por aqui", destaca o coordenador do projeto capoeira, mestre Antônio de Janoca.

Para Rodrigo Moreira, técnico e coordenador de informática do projeto, "a oportunidade de inclusão digital de dezenas de jovens ainda é um desafio. Muitos tem noção, mas não tem o conhecimento adequado de informática para o nível exigido pelo mercado. Esta será nossa tarefa, pelo menos chegar próximo do ideal."

"É muito importante que a comunidade abrace este projeto, que ele seja um exemplo a ser seguido, para que a cultura floresça e seja inspiração de jovens e crianças daqui pra frente", afirma Cleuza Rodrigues, monitora do projeto.

No aspecto global, na visão do historiador e coordenador geral do projeto Casa do Saber, Aparecido Silva, "é uma honra está trazendo este Ponto de Cultura para o Distrito de Gameleira. Nossos jovens precisam preencher este vazio, agregar informação, conhecimento e habilidades. Estamos em uma região que precisa muito das ações de quem pode ajudar, então é isso que faço e estou fazendo".

Assim, envolver moradores, visitantes e turistas nas questões culturais criam-se novas frentes para o desenvolvimento da localidade. E cultura é um produto educacional e turístico importante, e "vamos dando um passo de cada vez para tornar nossa cultura viva e forte", conclui Aparecido.

Category: Últimas Notícias