Situação da Educação em Sítio do Mato e Região é Gravíssima, Aponta Pesquisa do MEC

Com a proximidade das Eleições Municipais em 2016, apesar de evidenciar os ânimos e debates políticos na região, temas importantes precisam de melhor atenção, como forma de promover efetivamente o desenvolvimento dos municípios.

A educação é considerada como pilar básico de qualquer sociedade, seja de um povoado, distrito, município, estado ou nação. E em se tratando de mundo globalizado, em profundas e constantes transformações, qualquer descuido nessa temática pode ser determinante para anos de atraso, gerações perdidas e uma perversa piora nos indicadores sociais e econômicos.

É com melhorias do nível educacional que se faz avanços no nível de desenvolvimento, se produz melhor, as políticas públicas são mais eficazes, a qualidade de vida melhora, as oportunidades aparecem, a criatividade floresce, estimula a inovação, a violência se reduz, as pessoas vivem em melhor harmonia, cooperação entre si e com o meio ambiente.

Nestes termos, nossa equipe foi a campo e com ajuda de alguns especialistas, professores e profissionais liberais, foram avaliados alguns indicadores educacionais do município de Sítio do Mato e comparados com alguns municípios circunvizinhos.

Os dados utilizados foram os resultados da Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA), cuja, segundo o Ministério da Educação (MEC), "tem como objetivo aferir o nível de alfabetização e letramento em Língua Portuguesa e alfabetização em Matemática, por meio de testes cognitivos."

Além disso, visa atender a Meta 5 do Plano Nacional de Educação que tem como proposta “alfabetizar todas as crianças, no máximo, até o final do 3º ano do ensino fundamental”. Para isso, o Governo Federal criou o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC).

Na edição de 2014, aplicada de 17 a 28 de novembro, participaram da avaliação 49.176 escolas públicas e cerca de 2,5 milhões de estudantes matriculados no 3º ano do Ensino Fundamental, fase final do ciclo de alfabetização. Outra pesquisa da ANA será realizada próximo ao final deste ano.

Em Sítio do Mato, apesar de 7 escolas terem participado, somente 5 tiveram seus resultados divulgados, atendendo a uma determinação do Plano Nacional de Educação – PNE (Lei 13.005/2014), que prever a divulgação dos resultados para as escolas que apresentaram taxa igual ou maior a 80% de participação dos estudantes.

A análise se caracterizou com base nos critérios adotados para avaliar os alunos em Leitura (prova objetiva), Escrita (prova discursiva) e Matemática (prova objetiva), conforme quadro descrito abaixo:

O Nível 1 apresenta-se como nível mais elementar e o último nível (4 ou 5) como o mais elevado da escala da pesquisa, a partir das pontuações. Assim, a classificação foi rígida com as pontuações obtidas para fins de análise.

No quesito de leitura da Língua Portuguesa, o município de Sítio do Mato continua mal, e piorou. Isto porque aumentou o percentual de alunos que tem sérias dificuldades de ler textos, cujas notas com desempenho péssimo passou de aproximadamente 36% em 2013 para 50% em 2014. Somando-se ainda com o resultado ruim, a cifra de alunos que tiveram desempenho inadequado subiu para 87,4% em 2014, ante 76,4% em 2013.  (clique na imagem para ampliar)


O município melhor colocado neste quesito na região foi Serra Dourada, além de possuir o menor contingente com desempenho inadequado, cerca de 62%, apresentou também o maior percentual de alunos com nota de desempenho bom, com 5,1%.

Já na avaliação da escrita, que não teve informações divulgadas para 2013, os dados mostram que 63% dos alunos em Sítio do Mato tiveram resultados péssimos, ruins e fracos em 2014. Isto indica que três a cada 5 alunos não conseguem escrever, ou escreve "não-ortograficamente" ou eles escrevem apenas palavras e não textos.(clique na imagem para ampliar)

O destaque favorável na parte escrita é que expressivamente 36,1% tiveram desempenho regular neste tipo de avaliação em 2014. Isto é, na rede pública de Sítio do Mato um aluno a cada três escreve textos com algumas imperfeições. O percentual daqueles que escrevem textos completos foi de apenas 0,9% no ano da avaliação do MEC.

Mais uma vez, Serra Dourada se destaca, já que o desempenho inadequado foi o menor, de apenas 9,2% de notas péssimas, e por ter resultado de notas regulares elevado, de 63,2%. As melhores notas na escrita ficaram com 2,6% dos alunos daquele município em 2014.

Nesta avaliação da escrita, Serra do Ramalho ficou em último nesta base de comparação na região, já que possuía o maior percentual de alunos com desempenho baixo (33,2%) e o menor com resultados adequados (0,4%). Em todos os outros, Sítio do Mato foi o último colocado.

Enquanto isso, na avaliação de matemática, os resultados também são preocupantes. As notas com classificação de péssima e ruim somaram exatamente 92,7% dos alunos em 2014. Isso indica que o aluno tem apenas o conhecimento matemático de casa (péssimo) ou é capaz de fazer operações matemáticas muitos simples (ruim). No desempenho adequado (bom), apenas 2,5% tiveram nota nesse nível em 2014, piorando ainda mais a situação.(clique na imagem para ampliar)

É importante frisar que parte do resultado negativo de matemática está relacionado a língua portuguesa, uma vez que se o aluno precisa ler os problemas para entendê-los. Assim, se ele não tem bom desempenho em leitura vai ter dificuldades em matemática.

Entretanto, vale destacar que Sítio do Mato é destaque quando se trata de matemática, mas quando isso é posto pelo desempenho individual e não coletivo. Esta consideração está relacionada ao fato do município ter um pentacampeão e uma menção honrosa nas Olimpíadas Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), títulos de Felipe Viera Costa e Oscar Etcheaverry Barbosa Madureira da Silva, respectivamente.

O "Efeito Felipe" precisa ser aproveitado pela ala acadêmica do município, não de forma exploratória, mas criar mecanismo e instrumento para que este "gênio" possa contribuir não só com o nosso município, mas com toda região que é carente nessa área.

O município de Serra Dourada também assume a ponta deste quesito, cujos resultados de matemática mostram que 27,5% tivera desempenho péssimo e 14,3% alcançaram um bom resultado em 2014.

Enfim, o quadro mostra que existe uma situação grave na educação da região e, principalmente no município de Sítio do Mato, pois nesta fase do aprendizado, os alunos precisam estar preparados e inseridos no processo conhecimento exigido. Comparando com 2013 o resultado piorou bastante em 2014.

De acordo com o mestre em educação e professor universitário, José Reinaldo de Oliveira, reforça que este quadro se agrava ainda mais quando se tem "um contexto marcado por desigualdades sociais, desestruturação familiar, ausência de serviços públicos de qualidade e dificuldades de acesso à cultura local e universal, como é o caso de Sítio do Mato, município que historicamente apresenta índices de desenvolvimento humano preocupantes."

Outros ingredientes negativos também precisam ser levados em conta para o nível destes resultados de Sítio do Mato. A taxa de reprovação no município para estes alunos é crescente para as séries subsequentes e também pelo fato da distorção idade-série ser elevadíssima.

Nesse contexto, é preciso investir nas condições de infraestrutura, focar na formação de professores, melhorar a gestão escolar, a organização do trabalho pedagógico, entre outras temáticas. Este é um tipo de trabalho que pode ser feito dentro do município, independente de ajuda de recursos dos Governos Federal ou Estadual.

Por essa visão, José Reinaldo assegura que "é preciso, também, encorajar as crianças a ler o seu mundo, o seu contexto. Falar sobre o seu cotidiano. Escrever sobre ele, mesmo com garatujas ou desenhos."

Os pais precisam estar mais presentes no processo de aprendizagem dos filhos, melhorar o diálogo com a escola, respeitar a comunidade escolar, disciplinar o filho em casa com atenção, com amor, carinho e com os bons costumes. No entanto, o problema não se restringe somente a escola e aos pais, é necessário prioridade de gestão pública local.

Em conversa com um dos nossos leitores críticos, Sidney Dias, afirma que os "nossos professores são dotados de garra e determinação para enfrentar todas as dificuldades que nossa região passa, senão os dados seriam piores. É preciso mais investimentos na educação das crianças que passa pelo transporte, qualidade nutricional da merenda e melhorias na formação e carreira dos professores."

Enquanto isso, o professor Paulo Roberto recomenda que para sair dessa situação "é necessário mais acompanhamento do desempenho do aluno, tanto da escola como dos próprios pais, além de melhor utilização do material didático disponível e introdução de novos meios para acelerar esse processo de aprendizagem." 

Estas crianças não podem ter o futuro comprometido por negligência dos pais, da escola e do poder público. Estes resultados negativos se não corrigidos vão surtir efeitos "dolorosos" no futuro do município. Reforça-se aqui o que é assegurado pela Constituição Federal do Brasil, de 1988:

    "Art. 205. A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho."

Por isso é preciso foco, já que um bom desempenho das crianças no ciclo de alfabetização na escola pode ser fundamental para que estas tenham aprendizagem adequada ao longo do ensino fundamental.

Portanto, a política do nosso município precisa evitar as discussões de baixo nível, de buscar favorecimento no pleito, e começar a tratar daquilo que vai além dos 4 anos de um mandato. Imagine quantos talentos estão sendo abortados e perdidos neste processo, quando não se pensa no conjunto da população? Como estas crianças, quando adultas, enfrentarão as exigências de conhecimento básicos e do mercado de trabalho?

Assim, ou resolve o problema da alfabetização, ou compromete todo o resto no processo de aprendizagem, além de dificultar também o processo de desenvolvimento que tanto o município almeja. Dificilmente se tem desenvolvimento sem Educação.

Category: Últimas Notícias
Acessos: 3863

Deixar seu comentário

Postar comentário

0 / 500 Restrição de Caracter
Seu texto deve conter 1-500 caracteres
  • #33 Visitante - Maria

    Nossos alunos precisa de incentivos tantos dos pais quanto da escola, tem que ser uma parceria.

  • #32 Visitante - Maria

    Adorei a matéria, a educação tem que ser colocada em primeiro lugar, mais infelizmente aqui na nossa cidade isto não acontece, devemos pensar muito bem em quem votar e queremos na prefeitura, anos se passarão e a nossa cidade continua a mesma, sim houve mudanças, mais com tantas verbas que vem é para ter feito muito mais.