Festas Juninas Movimentam Negócios em Gameleira da Lapa e Região

O mês de junho é o mês mais esperado do ano no Distrito de Gameleira da Lapa, município de Sítio do Mato, distante a 759 km da Capital Salvador. O momento é marcado pelas festividades aos Santos juninos: Santo Antônio, São João e São Pedro.

Mesmo tendo um calendário anual de eventos, como o Carnaval, a Semana Santa e o Final do Ano, é nos Festejos Juninos que o Distrito mais se dinamiza. Este período também é marcado pelas noite frias, com temperaturas na madrugada na casa dos 15º C, coincide com as férias escolares e muitos trabalhadores de outras cidades e outros estados tiram suas férias para curtir o mês.

Dentre estes santos, Santo Antônio tem um destaque especial, pois é o Santo Padroeiro do Distrito. Além das movimentadas noites da Trezena do "Santo Casamenteiro", que se inicia dia 31 de maio e vai até do 13 de junho, quando é celebrada a Missa Festiva, Gameleira também comemora os festejos de São João.

O culto às noites de Santo Antônio já atravessa cerca de um século, sendo a tradição repassada de geração para geração, o que mantém viva a cultura religiosa e festiva do mês junino na comunidade. Naturalmente, as noites homenageiam várias personalidades da comunidade, desde crianças até o idoso, atribuindo a cada um dos indicados a responsabilidade pela trezena e comemorações nos dias representados.

Uma das figuras e personagens dessa comemoração é o octogenário Aldenor Pereira da Oliveira, o famoso CheCheiro. Aos 87 anos, cerca de 67 de carreira, "Sá" - com é conhecido pelos moradores locais- é a referência dos noiteiros. O tocador é responsável por todas as alvoradas que encantam moradores, visitantes e turistas. Checheiro já é considerado um "lenda viva" pela população, que se orgulho quando comenta sobre o instrumentista. (clique na imagem para ampliar)

Após o período de Santo Antônio, inicia-se os preparativos para o São João da Gameleira, que se comemora há mais de 50 anos. Esta comemoração foi transformada no mega evento, ARRAIÁ DO GAMELÁ, identidade junina criada pelos integrantes do Grupo de Teatro Filhos de Eva logo após as filmagens do filme nacional Narradores de Javé, em 2001. A dedicação do grupo a este projeto resultou na consolidação do maior São João da região, que acontece em paralelo com o São João de Paratinga (aniversário do município), com o Distrito de Sítio Grande, em São Desidério, com o de Macaúbas, Boquira e São Félix do Coribe. Os demais municípios circunvizinhos realizam shows no dia de Santo Antônio ou no São Pedro ou micaretas.

São diversas atividades nos dias de festa, como concurso de quadrilhas, diversas gincanas, apresentações teatrais e finalizando as apresentações diárias com shows a noite. A movimentação de pessoas quem vem para os festejos é intensa, principalmente a noite. Turistas de várias cidades e estados, e até estrangeiros prestigiam as comemorações. Neste período, era muito comum excursões de Muquém do São Francisco, Serra Dourada, Ibotirama, além de visitantes de Bom Jesus da Lapa, Santa Maria da Vitória, Brasília e entre outras localidades. (clique na imagem para ampliar)

Isto está ligado ao motivo que Gameleira possui todos os quesitos ideais para o São João tradicional, pois tem características interioranas, tem história, cultura viva, sempre comemora os festejos juninos, povo receptivo, localização privilegiada (entre a BR-242 e BR-349 e a região dos Brejos [Serra Dourada, Santana e demais cidades]). A Rodovia de acesso (BA-161) ao distrito se encontrar em recuperação, e a estrada vicinal foi "melhorada" recentemente, o que deve melhorar o fluxo para o Distrito.

Apesar de tudo isso, a inexistência de planejamento municipal faz esse potencial perder todo seu vigor, já que a definição do evento acontece geralmente sem uma posição clara, sem uma divulgação consistente. Muitos visitantes ou turistas que planejam vir ao Distrito acabam adiando ou mudando o roteiro diante da indecisão acerca da realização das comemorações do São João. Para alguns visitantes, a visita também está em conhecer os cenários do filme rodado no localidade.

Nos eventos desse porte, em municípios vizinhos, a programação é feita desde o início do ano, geralmente em forma de Lei Municipal (calendário festivo municipal), o que facilita a organização, divulgação, publicidade e todos os tipos de apoio técnico e financeiro de órgão estaduais e/ou federais. Mesmo assim, a forma improvisada com que vem se dando o Arraiá do Gamelá, o evento consegue gerar renda e ocupação durantes os festejos.

Como de tradição os moradores acendem as fogueiras em suas portas, cujo símbolo que representa o nascimento do santo junino e para os moradores a proteção de todos males. Geralmente, se faz batizados, casamentos entre outros tratos ao pular a fogueira. Se for no tempo de colheita é possível assar milho, e para quem gosta de peixe também é possível fazer o mesmo nas brasas da fogueira. Muitos também preferem se esquentar do frio e contar histórias e lendas da comunidade.

Na noite de São Pedro tem a fogueira recheada, que são vários prêmios amarrados em uma árvore que vai caindo aos poucos quando o fogo queima o caule. Os únicos moradores que acedem o fogo na porta são a(o)s viúva(o)s. E para encerrar o mês festivo, é realizada a famosa Quadrilha da Terceira Idade, sendo os idosos os protagonistas da festa.

Com todos estes evento acontecendo, quando o mês de junho se inicia dinamiza as ativadas dos diversos setores no Distrito. Os negócios se intensificam nos setores de Bares & Restaurantes, Comércio, Entretenimento, Transporte e entre outros. Mas também melhoram os negócios na Agropecuária e nos serviços de Hotelaria. Segundo informações, espera-se que neste ano de 2016 o mês de junho deva contabilizar em torno de R$ 300 mil em negócios. Este valor poderia ser o dobro ou mais se a organização do evento fosse melhor trabalhada. Em conversas com alguns empresários locais, "este é o melhor mês, além de ser festivo é do dia primeiro até o dia 29" relatou um comerciante. 

Outros municípios também são beneficiados, principalmente os setores de Calçado e Têxtil, Combustíveis e entre outros. Do total de recursos movimentados, cerca de 30% será com recolhimento de impostos para os cofres públicos, principalmente Federal e Estadual. A arrecadação direta para o município se dá em sua maioria na prestação dos serviços, como shows e outros contratos relativos a competência municipal.

Os festejos sempre foram referência para as crianças e jovens, apesar de apoios serem instáveis. Anos atrás, a TV Aratu patrocinou o Arraiá do Gamelá, tempos depois foi a vez do Ministério do Turismo, o que ajudaram a vender a festa no Distrito. Entretanto, falta muito para consolidar o evento como produto do município do Sítio do Mato, o que deve ajudar a dinamizar os negócios e fortalecer as tradições e produtos culturais no município. 

Falta também iniciativa do empresariado local, grupos organizados e escolas para que o mês de junho seja o mês de referência das festividades e cultura gameleirense e da região. O poder público tem uma função, mas a população local precisa se mobilizar antes de qualquer iniciativa pública. É assim que se torna um povo independente e forte para com seus valores e tradição.

Category: Últimas Notícias
Acessos: 1227

Deixar seu comentário

Postar comentário

0 / 500 Restrição de Caracter
Seu texto deve conter 1-500 caracteres