População de Gameleira Realiza Mobilização Contra Aedes Aegypti

Diante do avanço dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika pelo Brasil, a iniciativa da população de antecipar o combate ao mosquito mais temido da atualidade, vetor de várias doenças, o Aedes Aegypti, foi considerada exemplar e grande utilidade pública. População e autoridades no assunto aprovaram a inciativa.

A mobilização ocorreu pela manhã desta segunda-feira, em que ao invés de se concentrar somente na Praça do Mercado, as organizadoras resolveram circular as ruas do Distrito para levar a mensagem a toda população. Com o carro de som, cedido pela Prefeitura Municipal, facilitou a comunicação e o alerta que as alunas da UNEB queriam transmitir.

A profissional de saúde em São Paulo, Cida Santos, alerta que "o combate ao mosquito não é de responsabilidade somente da prefeitura, mas também de todos os moradores". Para que os resultados aconteçam é de vital importância que haja "união da população, em que se cada um faz a sua parte, já daríamos um grande passo", relata a moradora do Distrito, Veraires de Souza.

A Gestora Pública, Vandilza Oliveira, cita que é recomendável as pessoas deixarem "os seus quintais limpos, evitando deixar águas paradas, descartar pneus velhos, garrafas, panelas velhas e qualquer material que possa acumular água". Ainda assim, é preciso que "não somente você faça sua parte, tem que ficar de olho no vizinho também", recomenda a moradora de São Paulo, Dona Aldecir Gomes.

As organizadoras e alunas dos cursos de Letras, Inglês e História (todas da UNEB), relatam que ainda existe muita desinformação sobre como se prevenir efetivamente, como diagnosticar e ter um tratamento adequado das patologias transmitidas pelo mosquito. Jaciara Pinto, Mieriele Leite e Sidneide Santos e demais organizadoras afirmaram que "a ideia da mobilização está basicamente na transmissão do recado, da nossa preocupação. As nossas estruturas de saúde são limitadas, portanto o melhor remédio sempre será a prevenção". 

Os Agentes de Endemias, profissionais especializados no combate ao mosquito, têm observado esses avanços apesar do trabalho redobrado e cuidadoso que equipe vem tendo. O detalhe maior está na capacidade do ovos resistirem a praticamente 1 ano. Segundo o profissional Romualdo Macêdo, "é importante que a população cuide dos recipiente em suas residências, para que o mosquito não se reproduza. Porque uma vez depositado os ovos, e se o local secar, fica difícil monitorar os focos". Na mesma linha, o agente, Márcio Lima, afirma que "os cronogramas de visitas estão dentro do previsto e ocorrendo normalmente, mas o morador precisa cuidar mesmo, porque o mosquito se desenvolve muito rápido".

No fim do movimento, as organizadoras apresentaram uma pauta de reivindicações:

 - Limpeza mais intensa das ruas do Distrito de Gameleira da Lapa

 - Caso aumente os focos, a Prefeitura fazer uma Força Tarefa, com mais agentes no combate ao Mosquito

 - Carro Fumacê nas ruas (Especialistas dizem que esta opção parece não ser ideal, pois poderia o mosquito mais resistente)

 - Mais informações sobre as doenças para a população no Posto de Saúde.

 

Category: Últimas Notícias

Deixar seu comentário

Postar comentário

0 / 500 Restrição de Caracter
Seu texto deve conter 1-500 caracteres